Principais sistemas para indústrias de processo contínuo

A utilização de sistemas nas indústrias de processo contínuo é uma das estratégias da Indústria 4.0. Por causa da atual transformação no ambiente industrial, é essencial que as empresas utilizem as ferramentas disponíveis no mercado.

E ainda que a demanda esteja em crescimento e plataformas novas estejam surgindo, existem aqueles sistemas já consolidados no mercado. De qualquer forma, a utilização de um ou outro tipo de sistema vai depender de cada indústria e área de atuação. 

Considerando tudo isso, entendemos que a trajetória em busca do melhor sistema não é simples. Por este motivo, neste artigo esclarecemos algumas das dúvidas mais recorrentes sobre o assunto.

Afinal, para que servem os sistemas nas indústrias de processo contínuo? Quais são os principais sistemas utilizados? E por fim, que tipo de dificuldades devo esperar na utilização destes sistemas?

Continue lendo para ter as suas respostas.

A Indústria 4.0 e os Sistemas

O conceito de indústria 4.0 engloba diversas tecnologias que visam, principalmente, a automação dos processos produtivos. Com isso, estes processos se tornam mais rápidos, flexíveis e eficientes. E os resultados alcançados incluem mais produtividade e menores custos para as plantas industriais. 

Além disso, como a indústria 4.0 é baseada em muitos dados coletados em tempo real, o conhecimento estratégico para tomada de decisões assertivas cresce muito também.

Porém, para que estes resultados sejam alcançados, hoje as indústrias se baseiam em 9 diferentes pilares da indústria 4.0. Assim, é possível articular a adaptação de forma mais organizada.

Os 9 pilares da Indústria 4.0

Internet das Coisas

A internet das coisas se trata de conectar as máquinas e os dados que elas geram, com sistemas ligados à uma rede. Dessa forma, é possível analisar as informações em tempo real.

Computação na Nuvem

Considerando o alto volume de dados gerados o tempo todo pelas máquinas, é preciso armazená-los de forma segura. Além disso, é essencial que as pessoas consigam acessar estes dados de qualquer lugar através da internet.

Análise de Dados

Apenas gerar dados e deixá-los guardados na nuvem não é inteligente. O pilar de análise de dados existe para reforçar a importância de realmente entender o que está acontecendo na fábrica através de relatórios e insights.

Cibersegurança

Para proteger as informações coletadas, as indústrias devem investir em sistemas avançados de cibersegurança. Afinal, esse tipo de falha pode gerar paradas na produção ou compartilhamento de dados sigilosos.

Simulação

As simulações permitem otimizar recursos (dinheiro, tempo e pessoas), além de alcançar melhor performance. Assim, horas e dias perdidos com testes ficam para trás.

Inteligência Artificial

Essa tecnologia é uma revolução nos processos industriais, afinal permite aprendizado de máquinas para buscar melhorias e processos mais eficientes.

Leia também: Entenda a história da IA. Afinal, desde quando ela existe?

Robôs Autônomos

A robótica é uma das formas mais clássicas de modernizar uma planta industrial. Com a utilização de robôs, a execução de tarefas repetitivas e extremamente operacionais passam a ser de responsabilidade das máquinas.

Realidade Aumentada

Com a realidade aumentada, não é preciso esperar técnicos especializados para realizar reparos em equipamentos, por exemplo. Afinal, as orientações podem ser repassadas de forma remota.

Integração de Sistemas

Uma indústria é formada por diferentes sistemas, processos e departamentos. E para garantir que todos os esforços alcancem resultados efetivos, o primeiro passo é organizar e integrar os sistemas. Isso porque os sistemas são os principais agentes para facilitar a automação industrial.

Indústria de processo contínuo

Como já citamos algumas vezes durante este artigo, a indústria 4.0 e suas tecnologias são bastante interessantes para aquelas fábricas que trabalham com processos contínuos.

Porém, a decisão pelo estilo de produção de uma indústria deve levar em conta diversos fatores. 

Para empresas que buscam uma presença forte no mercado, é interessante utilizar um processo contínuo de produção. Já para aquelas que têm objetivos para pesquisa ou pequenas produções, a melhor opção é a produção em bateladas (lotes).

Mesmo assim, sabemos que mesmo os gestores de grandes indústrias tendem a considerar a segunda opção mais atrativa. Afinal, a produção em batelada não exige uma grande automação de processos. E também não é necessário um alto investimento em matéria prima.

Mas esse tipo de indústria não se sustenta se a demanda de produção for alta, ainda mais durante a revolução que vivemos hoje. 

E para auxiliar as indústrias de processo contínuo a ficarem mais atrativas, as tecnologias da indústria 4.0 estão a disposição. Porque assim as perdas são minimizadas e a produtividade cresce.

Principais sistemas utilizados em indústrias de processo contínuo

A fim de alcançar os melhores resultados, indústrias de processo contínuo contam com muitas opções de sistemas. Para que você entenda as diversas possibilidades que existem, vamos dividi-los em 4 grupos diferentes.

ERP

Sistemas ERP são ferramentas de gestão, e a tradução da sigla em inglês é “Planejamento de Recursos da Empresa”.

Assim, ao utilizar um ERP, é possível realizar o planejamento da produção, entender a necessidade de matéria prima a ser adquirida, calcular uma expectativa de volume de produto acabado, entre outros.

Os dois maiores sistemas ERP disponíveis no mercado são a Totvs e SAP. A Totvs tem a vantagem de ser brasileira, mesmo que já esteja presente em 41 países. Já a SAP, fundada na Alemanha, é a gigante mundial no setor.

PIMS

Os sistemas PIM (sistemas de gestão de informações sobre produtos) são utilizados para armazenamento de informações das mais diversas fontes de uma indústria. Dessa forma, não é mais necessário utilizar planilhas e anotações em papel. Também, é possível facilmente acessar informações do passado e realizar comparações com o que está acontecendo no presente.

Um PIMS de qualidade é o OSIsoft, um sistema com diversas funcionalidades para os usuários, capaz de ser escalável e muito seguro.

SCADA

O SCADA significa controle supervisório e aquisição de dados, e atua como um aplicativo que recebe diversas informações através de sensores.

Portanto, qualquer aplicativo que obtenha dados operacionais sobre um sistema a fim de controlar ou otimizar seu funcionamento, é chamado de SCADA. 

Através dos dados coletados pelos sensores, é possível gerar conhecimento para as seguintes aplicações. Análise de tendências, alarmes, operação remota no processo e geração de relatórios e gráficos.

Duas ótimas opções de sistemas SCADA são o Elipse (da Elipse Software) e o SCADABR (da MCA Sistemas).

LIMS

Para finalizar, o último grupo de sistemas disponíveis para indústrias de processo contínuo são chamados LIMS. Também da sigla em inglês, LIMS significa um Sistema de Gerenciamento de Informações Laboratoriais.

Assim, sua aplicação se dá em laboratórios para gerar maior eficiência e aumentar a qualidade dos serviços prestados.

Muitas vezes, é comum que técnicos de laboratório precisem realizar anotações em papel para depois digitar estes resultados. Porém, este é um risco, e a fim de eliminar erros de transcrição de resultados o LIMS pode e deve ser utilizado.

Duas boas referências de sistemas de gerenciamento laboratorial são o ELab e o LABbase.

Dificuldades na utilização dos sistemas

Como você já percebeu, são muitos sistemas e tecnologias utilizadas ao mesmo tempo. E por isso, é claro que em um primeiro momento desafios surgirão.

Mas como em outros casos na indústria 4.0, é preciso um esforço e investimento inicial mais alto no início, para que logo os resultados positivos possam ser observados.

Como extrair as informações relevantes

A maior dificuldade relacionada aos sistemas em processos contínuos é como extrair as informações relevantes.

Os sistemas funcionam 24h por dia coletando milhões de dados todos os dias. E para conseguir filtrar aquilo que é mais importante uma opção é utilizar o que chamamos de Business Intelligence, ou simplesmente BI.

Ao utilizar uma solução assim, é possível visualizar os dados de forma intuitiva e visual.

Integrar os diferentes sistemas 

Como são diversas frentes de coleta de dados, uma grande dificuldade enfrentada é a integração de todos os sistemas.

Essa é uma das etapas mais importantes para garantir que as decisões estão sendo tomadas considerando todo o conhecimento adquirido.

Para integrar os diferentes sistemas, temos a plataforma IndustriALL, que permite otimizar a relação entre os departamentos de operações e manutenção. Além disso, a plataforma mantém todas as informações em um só lugar, sendo possível alcançar melhores resultados.

Conclusão

Os diferentes sistemas que existem no mercado hoje facilitam muito a vida dos gestores de indústrias. Por isso, é preciso conhecê-las, entender quais são os mais interessantes para a sua realidade, e começar a utilizá-los.

É apenas colocando em prática cada um dos pilares da indústria 4.0 que será possível observar melhorias nos processos.

Você já utiliza algum (ou alguns) destes sistemas para indústrias de processo contínuo? Compartilhe sua experiência nos comentários abaixo.

Adicionar comentário