Seu blog sobre Indústria 4.0

Deep Learning, Machine Learning e Inteligência Artificial: afinal, qual é a diferença?

Cada vez mais, quando pensamos em tecnologia e desenvolvimento de indústrias, certos termos surgem e podem ser confusos. Alguns exemplos são os conceitos de Deep Learning, Machine Learning e Inteligência Artificial.

Afinal, o que diferencia cada um deles? E ainda mais importante, como utilizar cada tipo de tecnologia para o ganho da indústria?

É pensando nestas dúvidas e muitas outras que este artigo foi desenvolvido. Acompanhe para entender melhor cada um destes conceitos.

Conceito de Inteligência Artificial

Desde 1956 o termo Inteligência Artificial (também identificado pela sigla IA) existe. Contudo, foi apenas depois do desenvolvimento da tecnologia dos últimos anos que a IA se popularizou.

Essa popularidade da Inteligência Artificial se dá pois é essa tecnologia que permite que máquinas aprendam como se fossem seres humanos. Ou seja, a partir de experiências e a disponibilização de dados, as máquinas se ajustam e aprendem rapidamente.

Porém, é importante entender que a Inteligência Artificial precisa de outros tipos de tecnologia para existir. E é nesse sentido que abordaremos os conceitos de Deep Learning e Machine Learning também.

É provável que você já tenha visto vídeos de computadores que vencem os maiores mestres de xadrez do mundo. Ou então, carros autônomos que são capazes de transportar cargas e passageiros em seguraça.

Toda essa revolução só é possível porque a tecnologia não para de se desenvolver. E da mesma forma, as indústrias podem e deve se beneficiar muito destes conceitos.

Vantagens de usar a Inteligência Artificial em indústrias:

  • É possível automatizar a aprendizagem de máquinas a partir de dados coletados em tempo real. Embora a configuração do sistema seja realizada por pessoas, é possível automatizar tarefas frequentes e volumosas que são realizadas por computadores. Além disso, os resultados são confiáveis e não há fadiga humana para chegar aos resultados.
  • Inteligência é adicionada a produtos que já existem no portfolio das empresas. Foi assim que a Apple desenvolveu a Siri, adicionando inteligência aos seus produtos.
  • A análise de dados é facilitada, além de ser possível avaliar uma quantidade muito maior deles, em maior profundidade, de forma automatizada.
  • É possível que uma indústria se diferencie por sua capacidade de obter o máximo de conhecimento a partir de dados. Isso é ainda mais interessante para indústrias competitivas, a fim de conquistar uma posição de destaque no mercado.
  • A partir da aplicação de Machine Learning e Deep Learning, a IA é capaz de chegar a resultados cada vez mais impressionantes.

Conceito de Machine Learning

Se por um lado temos a Inteligência Artificial como um conceito mais amplo, por outro temos o Machine Learning (ML). Em português, podemos chamar de aprendizado de máquina, e é exatamente isso que o termo significa.

A Inteligência Artificial é a ciência capaz de imitar habilidades humanas, mas ainda necessitando de mais participação das pessoas.

Já o Machine Learning, que faz parte da tecnologia da IA, se baseia em sistemas que aprendem a tomar suas próprias decisões com mínima participação humana. Há análise e aprendizado a partir de dados, além de identificação de padrões para que as decisões tomadas sejam mais assertivas.

Ainda que o Machine Learning não tenha surgido recentemente, os resultados que temos hoje são frutos de tecnologia de ponta e atual.

Assim como mencionado acima sobre a IA, o ML está muito presente na vida de todas as pessoas. Um exemplo prático é a recomendação de filmes e outros títulos de plataformas de streaming como Netflix e similares. É a partir da sua experiência única dentro da plataforma que o sistema consegue aprender sobre os seus gostos e preferências.

Dessa forma, uma recomendação mais assertiva é possível. E com o tempo, conforme o assinante muda o que mais assiste, por exemplo, as recomendações também mudarão. Afinal, o aprendizado de Machine Learning acontece sem pausa.

Conceito de Deep Learning

Depois de entender o que é e como funciona o Machine Learning, podemos seguir para o conceito de Deep Learning.

Para que fique claro, o Deep Learning (ou Aprendizado Profundo), se trata de uma sub-área do Machine Learning. Este, por sua vez, está dentro do conceito mais amplo de Inteligência Artificial.

A fim de executar o Machine Learning de forma mais natural e profunda, o Deep Learning utiliza as redes neurais. Esta tecnologia vem sido desenvolvida desde a década de 50, mas é apenas agora, com computadores capazes de processar os dados em alta velocidade, que as aplicações estão se tornando realidade.

É a partir das redes neurais que é possível ter uma abordagem mais natural, como no reconhecimento de fala para traduções simultâneas. Os ganhos são imensuráveis em diversas indústrias, como nas áres da saúde, educação, e-commerce e desenvolvimento de produtos.

Como consequência de todo esse desenvolvimento é que o Deep Learning faz com que a Inteligência Artificial seja realmente aplicável e inteligente de forma mais autônoma.

Assim como mencionado acima, existem diversas aplicações do Deep Learning, sendo as mais importantes:

  • Reconhecimento de fala como Siri, Cortana, Alexa, entre outros sistemas;
  • Reconhecimento facial;
  • Recomendações personalizadas em aplicativos e websites;
  • Aplicações em medicina: câncer, alzheimer, derrame cerebral, entre outros;
  • Identificação de fake news e recomendação de notícias.

Saiba como diferenciar essas tecnologias

Como você percebeu, todos os conceitos apresentados no texto são interligados de alguma forma: Inteligência Artificial, Machine Learning e Deep Learning.

Mas cada um deles tem aspectos diferentes, sendo mais amplos ou mais específicos para utilização pelas empresas.

  • Inteligência Artificial

A ideia central da IA é criar máquinas que, través da tecnologia, consigam solucionar problemas, e tenham capacidade de reconhecer objetos, vozes e rostos. Isso acontece a partir de uma programação executada por humanos e utilizada pelas máquinas.

  • Machine Learning

Sendo uma tecnologia mais desenvolvida e específica, que faz parte da Inteligência Artificial, o Machine Learning é como uma etapa mais avançada da AI.

Isso porque se trata de um sistema que aprende sozinho a partir de um setup inicial realizado por uma pessoa. Assim, a máquina começa a resolver os problemas de forma autônoma. Consequentemente, não há necessidade de envolver programadores e manutenção humana.

  • Deep Learning

Por fim, o Deep Learning é ainda mais desenvolvido, sendo inspirado no cérebro humano. Dessa forma, a partir de dados em grande quantidade, as máquinas aprendem de forma mais natural. 

Assim como acontece com as pessoas, as máquinas aprendem a partir de experiências, a partir de estruturas chamadas redes neurais.

Benefícios para as indústrias

Se uma empresa ainda não utiliza nenhum tipo de tecnologia relacionada a Inteligência Artificial, já passou do momento de começar.

Com um mercado cada vez mais competitivo, as indústrias que não se atualizam acabam ficando para trás. E isso acontece porque o controle de qualidade tem mais falhas, a avaliação do comportamento dos clientes fica mais lento, e a agilidade para resolver problemas não acontece como deveria.

Você já utiliza essas tecnologias na sua empresa? Compartilhe conosco a sua experiência!

Compartilhe:

Mais artigos

Sentiu falta de algum conteúdo? Manda uma sugestão para a gente!