Seu blog sobre Indústria 4.0

Quais as diferenças entre Indústria 4.0 e Indústria 5.0?

Neste artigo você encontrará as principais diferenças entre os conceitos de Indústria 4.0 e Indústria 5.0.
Indústria 5.0

Hoje em dia existe a chamada Indústria 5.0, que é o próximo passo no avanço das indústrias no mundo. Essa nova transformação acontece considerando o toque humano em cada uma das operações industriais que existem. Entretanto, a Indústria 4.0 (ou quarta revolução industrial) ainda pode ser novidade para muitas empresas. Afinal, se trata da utilização de tecnologia avançada para alavancar a produtividade e eficiência nas indústrias.

Tecnologias como inteligência artificial, robótica, internet das coisas, utilização de sensores e automação entre sistemas, que são capazes de transformar a forma como uma indústria funciona.

Neste artigo você vai entender as principais diferenças entre os pilares das indústrias 4.0 e 5.0. E também os desafios enfrentados pelas empresas para chegar a este novo patamar.

Como surgiu a Indústria 5.0

Com a Indústria 4.0 as empresas passaram a utilizar a tecnologia de forma inteligente. Dessa forma, todo o mercado se tornou mais competitivo, produtivo e eficiente. Mas além de focar em ter uma fábrica completamente automatizada por inteligência artificial e outras tecnologias, é preciso pensar em outros pontos.

O principal deles sendo como unir o trabalho de humanos e robôs em prol de resultados cada vez melhores e mais personalizados. 

É nesse sentido que o conceito de Indústria 5.0 se estabelece no mercado hoje. O conceito de que homem e máquina precisam trabalhar em conjunto para facilitar os processos produtivos na indústria e deixar os produtos menos automatizados e sem flexibilidade.

Dessa forma entende-se que tanto os avanços tecnológicos e a automatização quanto o questionamento e potencial criativo do ser humano são importantes.

Algumas empresas podem ser consideradas pioneiras na utilização da Indústria 5.0. Isso pois perceberam a importância da tecnologia atrelada à personalização e inovação que os humanos trazem para os negócios.

Os exemplos mais clássicos são empresas como a Tesla Motors, a Apple e a Boeing. É possível perceber que estamos citando apenas empresas muito grandes, e isso não é por acaso.

Diferente das pequenas e médias empresas que ainda lutam para utilizar a tecnologia da Indústria 4.0 da forma correta, essas empresas gigantes já conseguem ver além. Entendem que além da tecnologia, também é preciso investir na humanização dos processos e valorização do fator humano.

Pilares da Indústria 4.0 e Indústria 5.0

A Indústria 5.0 é uma nova etapa depois da Indústria 4.0, e por isso elas têm pilares e conceitos bem diferentes.

Enquanto que a Indústria 4.0 é baseada em pilares que envolvem muita tecnologia, automação e análise de dados. A 5.0 já considera muito mais a personalização e inovação nas produções industriais.

Os pilares da Indústria 4.0

  1. Análise de Big Data: envolve a captura e análise de dados de diversas fontes para que melhores decisões e análises sejam realizadas.
  2. Robôs Autônomos: robôs inteligentes que podem realizar tarefas repetitivas, antes realizadas por seres humanos. Enquanto executam suas tarefas podem processar informações e tomar decisões.
  3. Simulação: utilização de dados do mundo real para simular o desempenho de um produto ou processo industrial.
  4. Integração de sistemas: a união de dados entre diferentes departamentos de uma empresa de forma organizada e centralizada.
  5. Internet das coisas: objetos físicos conectados entre si por sensores, softwares e tecnologias que permitam essa interação.
  6. Cibersegurança: garantir a segurança de dados é essencial, e acontece através de sistemas robustos.
  7. Cloud computing: dados e análises são hospedados em nuvem para que seu acesso seja disponibilizado em tempo real de qualquer lugar do mundo.
  8. Manufatura aditiva: impressão 3D que permite que peças e sistemas mais leves e resistentes sejam criados.
  9. Realidade aumentada: acontece quando um produto ou item físico é misturado com a realidade virtual a fim de melhorar processos da indústria.

Os pilares da Indústria 5.0

A Indústria 5.0 tem um grande potencial de transformar a forma como as empresas trabalham hoje. E segundo o japonês Council for Science, Technology and Innovation (CSTI), os pilares da Indústria 5.0 podem ser definidos assim:

  1. Promover ações para criar novo valor para o desenvolvimento da futura indústria e transformação social.
  2. Responder aos desafios econômicos e sociais.
  3. Reforçar os fundamentos da Inovação Científica e Tecnológica.
  4. Estabelecer um ciclo virtuoso sistêmico de recursos humanos, conhecimento e capital para inovação.

Dessa forma fica clara a diferença entre a Indústria 4.0 e 5.0. A primeira foca em tecnologia e automação. Já a segunda, consiste em rever fundamentos tecnológicos, promover ações de transformação social e recursos humanos.

Principais diferenças das Indústrias 4.0 e 5.0

A Indústria 4.0 tem como um de seus pilares a conexão de máquinas, deixando processos mais automatizados. Por outro lado, a Indústria 5.0 dedica-se à experiência do cliente, que muitas vezes precisa ser considerada de forma individual e personalizada.

Outra diferença grande entre a Indústria 4.0 e 5.0 é que na 4.0 os produtos devem ser inteligentes, com facilidade de rastreabilidade por todo o processo produtivo. Já na 5.0, o objetivo principal são produtos pensados pela experiência com o consumidor unido à tecnologia.

A mão de obra na Indústria 4.0 está distante das fábricas, ou pelo menos esse é o objetivo ao implementar seus pilares. Na Indústria 5.0, pelo contrário, a mão de obra é necessária dentro das fábricas para incluir o fator humano nos processos.

A Indústria 5.0 também é muito ligada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 2030 (ODSs) da ONU. Dessa forma, as ações na indústria são realizadas visando a sustentabilidade e melhor uso de recursos naturais do planeta.

Aos poucos, é possível perceber que as empresas entendem o impacto de apenas pensar em produtividade e lucro. Com o avanço da Indústria 5.0 o foco muda para refletir sobre o custo do crescimento dos negócios até hoje. E também, sobre como agir para mudar a realidade que vivemos.

É claro que os consumidores cada vez mais conscientes também contribuem para que essa mudança esteja acontecendo. Quando as pessoas passam a avaliar a ética e processos produtivos preocupados com o meio ambiente das empresas, estas precisam se adaptar a essa nova demanda. 

Para isso, um novo posicionamento é necessário, deixando claro que as pessoas e o meio ambiente são importantes e devem ser preservados.

Os desafios para evoluir à Indústria 5.0 e seus maiores benefícios

Os desafios

De modo geral é possível citar dois grandes desafios para a implementação da Indústria 5.0. O primeiro deles é um que também trava indústrias de implementarem a versão 4.0, que é o investimento em tecnologia. Ainda que o foco da Indústria 5.0 seja muito mais no fator humano, investir em tecnologia segue sendo importante.

E o segundo grande desafio é o treinamento de colaboradores. Especialmente falando de profissionais que têm mais dificuldade em entender e lidar com o mundo moderno e cheio de mudanças que vivemos hoje. Para que todos consigam se adaptar, é necessário que as empresas realizem treinamentos e possibilitem muita prática para os colaboradores.

Os benefícios

Existem diversos benefícios da Indústria 5.0, sendo possível listar 3 principais.

1. Otimização de custos: pessoas e máquinas trabalhando juntas para chegar a melhores resultados para a indústria, e consequentemente redução de custos.

2. Relacionamento com o meio ambiente: as empresas estão percebendo como estão afetando o meio ambiente com suas ações. E por isso, com a Indústria 5.0, ações para mitigar estes problemas se tornam realidade e podem melhorar a situação em que vivemos hoje.

3. Personalização e toque humano: produtos personalizados requerem um tratamento personalizado dentro da indústria. E isso é possível porque a Indústria 5.0 trabalha com mais foco no ser humano do que na automatização dos processos.

Compartilhe:

Mais artigos

Sentiu falta de algum conteúdo? Manda uma sugestão para a gente!